Ambev

Danilo Oliveira, Breno Tonidandel, Renato Fleury

A Poli Júnior trabalhou em conjunto com a Cervejaria Ambev para solucionar uma grande deficiência em seu sistema de detecção de corpos estranhos

O Problema

 A Ambev possui uma linha de embalagens retornáveis que constantemente retorna as suas fábricas com algum tipo de corpo estranho. Para garantir a segurança de seus clientes, foi desenvolvido um sistema de detecção muito eficiente de forma que grande parte dos corpos estranhos são identificados  e retirados das embalagens. Contudo, existia um tipo de impureza específica que não era detectada  e ocasionava constantes reclamações em seu SAC, corpos estranhos não polarizáveis, como plásticos de bala e pequenos cacos de vidro.

A Solução

Pensando nisso, a Ambev lançou um edital para todas as Empresas Juniores do país para selecionar a melhor solução para o seu problema. O método ganhador da competição foi o pensado pela Poli Júnior e envolvia o aquecimento das garrafas e a detecção da diferença térmica entre o corpo estranho e a embalagem. Assim, foi projetado um dispositivo com câmeras térmicas que  detectam os corpos estranhos nas embalagens. Além disso, esse dispositivo foi testado e entregue com sua documentação completa para a implementação.

Os Impactos

 A partir desse projeto, diversos testes foram feitos e foi possível identificar os corpos estranhos nas embalagens por meio de nossa solução, validando  o conceito de nosso equipamento. Como resultado, firmamos uma parceria para realizar outro projeto para a implementação dessa solução na fábrica de Guarulhos.

carta-de-serviços-do-nmec